Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sem Querer Quero

Uma vida...sem sonhos...

17
Mar20

Tenho estado em casa como já vos disse (por razões que agora não vêm ao caso).

Que eu saiba não tenho coronavirus, nem Covid-19, muito menos tenho estado em contacto com grupos de risco ou pessoas que possam a vir a desenvolver tal vírus (mas nunca se sabe)...nem é disso que estou a recuperar. Nesse aspecto, e por enquanto, tudo tranquilo.



Acho, no entanto, importante referir que: durante toda a minha vida sempre fui acompanhada - numas alturas mais e noutras menos - de perto por: enfermeiros, médicos de várias especialidades, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, ortopedistas, psicólogos, psiquiatras, nutricionistas ou, agora mais recentemente, até por um psicoterapeuta e uma equipa de apoio domiciliário.

E se, já me aconteceu, ter depositado grande parte da minha insegurança, frustração, tristeza, do meu medo diria até pânico nesses profissionais - que nada mais são do que pessoas, como eu. Também já depositei neles (e nos bombeiros) toda a minha esperança (no meu e) num mundo, numa vida, melhor para todos! 

E, como em tudo na vida...se há profissionais e áreas da medicina que me marcaram pela positiva outros há que me me marcaram pela negativa! Acordam às vezes mal dispostos e, provavelmente, vêm em nós o elo mais fraco. Não somos. Temos muitos defeitos mas a fraqueza não é um deles. No entanto, acredito que, tal como eu dou, (quase) todos tenham dado o seu melhor nas diferentes alturas da vida em que nos cruzámos por aí!

...O difícil de ouvir é: "um dia, possivelmente, terás de ser institucionalizada". Matei alguém? Para presos há reabilitação e, para mim não? Pergunto frontalmente!

Ouvi também noutro contexto e sobre outro assunto: "isso que há anos desejas não acontecerá" ou "Já não és aquela menina de 15 anos (...) Tens de desistir desse sonho". Dez anos passaram entre cada uma dessas frases, proferidas por duas pessoas tão distintas e em lugares tão distantes neste Mundo imenso. Uma delas foi dita por estes dias...e doí. Tanto ou mais do que doeu há 10 anos atrás.

 

Sinto que querem deixar os meus sonhos morrer para eu poder viver...

Sei que são irrealistas mas...

Eu não sei viver sem sonhos...

...Numa realidade destas...tão dura. 

...Eram, especificamente, estes sonhos que me faziam avançar, avançar e lutar por ser melhor, por ter melhores condições, por evoluir e crescer. 

...A realidade nua e crua...

...A realidade sem esperança...

Nunca a vivi!

Eram os meus sonhos os meus únicos apoios, sem eles sou pouco ou nada...

...Num Portugal onde pouco ou quase nada há, para pessoas como nós, como eu. 

...Só sonhos...

...Que tenho de deixar morrer!

E eu assim não sei viver...

 

Será que um braço chega para me apoiar?

2 comentários

Comentar post